Precisamos conversar sobre...

Oi oi meus lindos e lindas.
Tudo bem com vocês?
É, eu ando sumidinha, não postei mais os desafios do Projeto Escrevendo Sem Medo, mas, em minha defesa estava uma loucura essa minha vida, e principalmente, semana passada e inicio dessa semana que foram as semanas de provas, mas enfim, espero ter passado em tudo e me declarar "de férias", porque é o que eu mais sonho no momento.
Sem mais delongas vamos ao que interessa, do que eu preciso falar? É tanta coisa que eu gostaria de falar gente, que não cabe em uma só postagem. rsrs'
Eu escolhi um tema, que infelizmente ainda é difícil de ser falado, só que é preciso e muito ser discutido, vamos falar sobre o suicídio.


Não é nenhuma novidade que a maior doença do século é a depressão, entretanto pouco se ouve falar dela, mas pessoas próximas a nós, ou até mesmo nós, estamos sujeitos a essa doença. O índice de pessoas que morrem através do suicídio, é alto, só que não é algo que vemos sendo noticiado nas grandes mídias, a questão é entender porque tanto medo de se falar do suicídio, é preciso alertar as pessoas que a depressão mata, e que ela pode atingir qualquer pessoa.
Eu acho que falar sobre o suicídio não deve ser levado em conta pelo fato do alto índice, ou de que alguém próximo a nós pode estar propenso a essa doença, acho que deve ir além disso, falar sobre o assunto deve alertar a forma sobre como tratamos o outro, e como o julgamos quando nos deparamos com esse tipo de situação, porque infelizmente muitas pessoas dizem que é "mimimi", "frescura", "drama", e por ai vai, sem ao menos se importar em saber o que se passa na cabeça da pessoa.
É muito fácil falar quando não somos nós que estamos sentido, é muito fácil julgar o outro, que aliás, eu não entendo porque essa sociedade virou tão condenadora assim, até porque isso não cabe a nós.
Precisamos sim falar do suicídio, precisamos sim procurar entender o que é, porque acontece, como prevenir, o que fazer quando se deparar com alguém que está prestes a cometer atos suicidas.
As causas do suicídio podem ser de diversas formas seja pela perda de um ente querido, depressão, transtorno bipolar, transtornos mentais relacionados ao uso de álcool e outras substancias psicoativas, o desemprego, isolamento social, pouca resiliência, personalidade impulsiva, doenças orgânicas incapacitantes e dor crônica.
Pelos números oficiais são 32 brasileiros mortos por dia por causa do suicídio, é uma taxa superior ao da AIDS e da maioria dos tipos de câncer.  Tem sido um mal silencioso, pois as pessoas fogem do assunto, existe ainda a discussão que falar sobre o assunto pode instigar as pessoas a cometerem atos suicidas, mas não falar sobre, faz com que as pessoas não percebam os sinais de que uma pessoa próxima esteja com ideias suicidas.
Em 31 de março deste ano foi lançado na Netflix a série  Os 13 Porquês (13 Reasons Why) que conta justamente a história de uma menina que se suicidou, mas antes  de cometer o ato, ela fez treze gravações sobre os motivos de querer cometer tal coisa. Foram pequenos/grades atos que a deixaram mal chegando ao ponto de querer desistir da própria vida.  
A série, uma adaptação do livro de mesmo nome, trouxe algo muito interessante, que é justamente mostrar que nossas atitudes por menores que sejam podem atingir e muito a vida do outro. Não é uma tarefa fácil nos policiarmos quanto a forma como tratamos o outro, mas devemos respeitar suas escolhas, seu jeito de ser, e suas dificuldades, nem todo mundo consegue lidar com a dificuldade da mesma forma que o outro, cada ser é diferente.
Não acho que uma pessoa que "aparentemente é fraca", seja de fato fraca, sei que pessoas que tem certas dificuldades lutam, e muito para sobreviver, para não se deixar cair em depressão. É por isso que falo, que não é mimimi, não é drama, e não é frescura, nem todo mundo é como o outro.
As vezes a tristeza toma conta de uma pessoa por questões de segundos, e vai se alastrando de uma forma que quando a pessoa percebe é dificil voltar atrás, e ter força de vontade para dar a volta por cima.
A atitude suicida não vem de uma hora para a outra, são apresentados sinais, como por exemplo tristeza, angustia, isolamento social, e cabe as familiares ou a uma pessoa próxima realizar o redirecionamento e aconselhamento a uma psicomédica especializada. 
Para você que tem alguém próximo que está com depressão, que está com atos suicidas não hesite em procurar ajuda, em ouvir, porque ouvir é muito importante nesses momentos, tome cuidado com o que diz para não deixar a pessoa ainda mais abalada, procure orientações sobre o que falar e como falar, não julgue, mas procure compreender a dor do outro.
E para você que está triste, pensando em desistir de tudo, não faça isso, por favor, não faça, sei que a vida não é fácil, que há momentos angustiantes, mas continue a lutar, você não está aqui por acaso, Deus tem um propósito grandioso em sua vida, creia nisso, há pessoas que te amam, pessoas que se importam com você, Deus se importa com você. Só continue a lutar. Dê a volta por cima, não dê espaço a essa doença, manda ela ir embora, sacode a poeira, vai ri de uma besteira, liga para um amigo, dê gargalhadas bem altas, relembre seus micos, ria deles, trace sonhos e busque alcança-los, faça novos amigos, saia um pouco de casa, nem que seja só para ir ali na padaria dar um oi a alguém, converse, escute uma música, se mexa, dance, e não importa se você não sabe dançar, faça do seu modo, só não fique parado, seja forte, mesmo que pareça que todas as suas forças acabaram, e saiba que se precisar de uma amiga, estou aqui, disposta a dar um ombro amigo, e chorar junto com você se for preciso, só não desista.

Então é isso meus amores, precisamos discutir sobre esse mal que aflige a nossa sociedade, precisamos ouvir o outro, precisamos amar mais o nosso próximo, precisamos conversar sobre isso... assim quem sabe podemos diminuir esses índices tão preocupantes.
Lembrando também que existe o CVV - Centro de Valorização da Vida que realiza um apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuita todas as pessoas que querem conversar. O sigilo é total, e o contato pode ser feito através do telefone (188), e-mail, chat e voip, com um serviço de 24 horas todos os dias.


 Dica de Música:



Esse texto faz parte do desafio do mês de Setembro, e faz parte do Projeto: Escrevendo Sem Medo, confira os outros desafios através do link.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi, espero que tenha gostado de visitar o blog, não deixe de comentar a sua experiência aqui.
Beijos, e volte mais vezes, será sempre bem vindo (a).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Jayhana De Nardi - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo