Segue a sua vida, que seguirei a minha...




É engraçado como as coisas são né? Há quase cinco atrás eu era uma garota no ensino médio, não estava super apaixonada por ninguém, tinha meu crush, é claro, mas era aquela paixão que você já sabe que não será correspondida, aquele cara popular que gosta de patricinhas, dos cabelos bonitos, corpo magro, nada parecida comigo, então você chegou, nada a ver com um cara popular, aliás tímido, o tipo de garoto que sempre imaginei ao meu lado, nunca gostei muito de playboys. Nós conversamos, e eu precisava de uma paixão para me distrair, precisava de alguém para me apoiar, e escolhi você, não que tenha sido uma escolha voluntária. Ás vezes eu queria voltar naquele primeiro ano, o desespero de falar com você, a alegria de receber uma mensagem sua, mesmo que fosse apenas um oi, a empolgação de te vê online, e tentar fazer de tudo para ser notada. Esconder um sentimento nunca foi uma das minhas habilidades, fingir sentimentos também não. Logo confessei gostar de você, mas eu achava e esperava que fosse recíproco, que grande ironia, com certeza se eu soubesse e pudesse jamais daria prosseguimento aos dias que vieram depois. Eu tentei em outras beijos te esquecer, eu tentei em outros abraços me confortar, mas parecia que sempre algo me levava a você, e eu achava que era Deus que queria que ficássemos juntos, achei que Deus tinha um plano maravilhoso para nós, achei que você me amava, e tinha algum problema que nos impedia de ficarmos juntos, algum problema que eu não conseguia entender, mas sabia que existia. Mas que problema seria esse? Diversas vezes eu disse te amar, e você pedia que eu esperasse por você, talvez não com essas palavras, mas era o que me dava a entender. Se eu pudesse apagar tudo, tudo de ruim que meu coração guardou, mas eu não posso, porque as memórias ficam gravadas para sempre. E quando te vejo lembro delas, e é por isso que sei que não podemos ficar juntos. Mas eu não te odeio, não como antes odiava, tudo bem, sabe, eu entendo que as pessoas não são obrigadas a gostar uma da outra, mas no mínimo eu achava que as pessoas podiam ser sinceras e dizer a verdade, eu sempre fui verdadeira com as pessoas para não iludir ninguém, pois eu nunca queria que alguém fizesse isso comigo, só que nem todo mundo é igual né? Tudo bem, vai, viva a sua vida, não me procure mais. Não precisa mentir dizendo sentir o que não sente, por favor não tente de novo, uma coisa que começa mal, tem tudo para terminar mal, eu sei que não sou a garota para você, e vice versa. Vai, somos livres para fazer nossas escolhas. Doeu, doeu muito, mas hoje eu não choro mais com a sua ausência, eu não tenho mais raiva como tinha, eu sinto que a dor ela esta sendo cicatrizada, então não vamos tocar na ferida né? Vamos apenas seguir nossas vidas...
Viva feliz, seja feliz, é o que eu lhe desejo.


2 comentários:

  1. ADOREI O TEXTO, JAY!!
    Estava com saudades de passar por aqui. :D
    bjs
    http://23do03.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Oi, espero que tenha gostado de visitar o blog, não deixe de comentar a sua experiência aqui.
Beijos, e volte mais vezes, será sempre bem vindo (a).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
© Jayhana De Nardi - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo